“Joi, quero começar a fazer Projetos Fotovoltaicos, como faço?”

Energistas, essa pergunta tem chegado para mim cada vez mais no InstagramComo minha missão é falar de Energia e ajudar àqueles que também amam o segmento de energia solar fotovoltaica como eu, decidi resumir esta resposta em 3 passos.

Neste mercado que cresce mais a cada dia, aproveite este tempo para se capacitar e estar preparado para as oportunidades que se abrirão para você.

Sendo assim, leia atentamente cada um dos passos para que você possa sair daqui preparado para colocá-los em prática.

1º Passo: Ser Engenheiro Eletricista, de Energia ou Técnico em Eletrotécnica

Estes são os profissionais habilitados para elaborar e assinar projetos fotovoltaicos.

Vamos ver como funciona cada classe?

Engenheiro Eletricista e de Energia ativo no CREA – Habilitação concedida pelo CREA/CONFEA

Estes profissionais podem se responsabilizar legalmente pelo projeto e instalação de um Sistema FV.

Ao Engenheiro Eletricista, esta prerrogativa é dada pela Resolução Nº 218 de 29 de junho de 1973 do CONFEA, o Conselho Nacional de Engenharia e Agronomia, no artigo 8º, onde autoriza o Engenheiro Eletricista a desempenhar todas as atividades do 1º artigo da Resolução, referentes à geração de energia elétrica.

Assim também, ao Engenheiro de Energia, esta habilitação é concedida pelo mesmo conselho, através da Resolução Nº 1076 de 5 julho de 2016, que o permite exercer as atividades profissionais descritas pelo CONFEA para geração de energia elétrica, conferindo a este profissional a modalidade eletricista, no artigo 6 da mesma resolução.

Logo, para possuir esta habilitação é necessário registrar-se no CONFEA através do CREA, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia. Cada estado, e o Distrito Federal, possui um CREA específico.

A carteira de Engenheiro do Crea é concedida aos que são graduados em faculdades de Engenharia reconhecidas pelo MEC.

A responsabilidade do projeto é legalmente comprovada pela Anotação de Responsabilidade Técnica, a ART. Em síntese, este documento descreve de maneira resumida o projeto, caracterizando o cliente, o engenheiro contratado, o local de sua realização, o prazo e o serviço a ser realizado.

O modelo e o código das atividades numa ART variam de acordo com o estado no qual o engenheiro está registrado. Ou seja, o CREA-SP possui um procedimento de preenchimento diferente do CREA-RJ. Então, faça uma breve pesquisa no estado do seu registro.

Técnico em Eletrotécnica ativo no CFT

A habilitação para Técnicos em Eletrotécnica para projetos fotovoltaicos foi concedida recentemente pelo CFT, o Conselho Federal dos Técnicos Industriais, através da CFT N° 74/2019, no artigo 3, parágrafo IV, que permite aos técnicos com habilitação em eletrotécnica elaborar projetos de instalações elétricas de fontes geradoras solar fotovoltaica, obtida pela luz do sol.

Entretanto, conforme o artigo 5 da mesma CFT, o limite para esta atividade é de instalações com demanda de energia de até 800 kVA”, para qualquer nível de tensão.

Assim sendo, é necessário ser formado em curso técnico numa instituição de ensino reconhecida pelo MEC para registrar-se no CFT. O registro no Conselho é realizado no seu site, independente do estado.

O profissional de eletrotécnica emitirá um TRT, Termo de Responsabilidade Técnica, para assumir a responsabilidade destes projetos.

Em suma, este documento possui as mesmas informações da ART, pertinentes ao cliente, ao Técnico Responsável, ao endereço da obra e atividades que serão exercidas sob a sua responsabilidade.

Energistas, por fim gostaria que se atentassem as seguintes observações, válidas aos dois documentos.

  • As distribuidoras disponibilizam informativos sobre as atividades técnicas requisitadas para cada tipo de projeto a ser conectado em sua rede. Portanto, procure entrar em contato com elas para este alinhamento. Quanto mais conhecimento você obter sobre as normas das distribuidoras, as chances dos seus projetos serem aprovados mais rapidamente será maior.
  • Uma ART/TRT apenas de projeto, pode ser emitida no CREA/CFT de qualquer estado, independentemente de onde o projeto está localizado. Caso ela possua atividades de execução, deve-se emitir o documento no Conselho do mesmo estado onde o projeto será construído. Para emitir uma ART num estado diferente do seu registro, é necessário um Visto no Conselho Regional daquele estado. Já o CFT tem validade nacional, portanto o visto não é mais necessário.

Não sou Engenheiro nem Técnico

Talvez você que chegou até aqui muito interessado em projetos fotovoltaicos tenha se desanimado, pensando que somente engenheiros e técnicos podem atuar na elaboração de projetos.

Mas eu gostaria de dizer que se você realmente deseja fazer parte deste mercado, você encontrará parceiros que possuem esta habilitação para fazer projetos com você.

Portanto, não pense que isso será uma barreira, ou que isso pode lhe impedir de projetar usinas fotovoltaicas. busque uma parceria se nesse momento você não possui essa habilitação ainda, seja de um amigo ou algum conhecido que você viu atuando neste segmento.

2º Passo: Fazer Cursos de Capacitação na Área de Energia Fotovoltaica

Energistas, a sua capacitação será fator determinante para o entendimento genuíno do segmento solar fotovoltaico.

O conhecimento adquirido na graduação ou técnico geralmente não é suficiente para que a atuação com projetos fotovoltaicos seja completa, então buscar capacitação a materiais adicionais é fundamental.

Ou seja, não se trata apenas de saber o número de módulos necessários para atender a demanda do seu cliente. Cada projeto de engenharia possui uma metodologia e premissas que devem ser consideradas para o seu dimensionamento.

Para que seu conhecimento seja amplo nesta área, é importante que você entenda bem os seguintes domínios de um projeto.

Capacitação Técnica

O Domínio técnico é essencial para realizar os projetos em energia solar fotovoltaica.

Pode parecer muito simples quando vemos os módulos instalados nos telhados, ou em algum terreno, mas existem detalhes minuciosos que podem comprometer a eficiência dele.

Por exemplo, seus módulos serão instalados de maneira fixa, ou com trackers? Qual tipo de inversor utilizar? É mais vantajoso instalar módulos bifaciais? Qual será o melhor afastamento entre as fileiras de módulos?

Frequentemente, algumas dessas perguntas precisam estar respondidas ao se iniciar a concepção do projeto, primeiramente, para que você tenha em mente como será determinado o arranjo físico e em segundo lugar, para o levantamento dos custos, não só pelo valor da obra, que também deve ser considerado, mas para que seu cliente confie que a solução que você propõe trará o retorno que ele espera.

Embora todos nós sejamos passíveis de incertezas durante o projeto, uma explicação clara e técnica para justificar o seu projeto fará total diferença para demonstrar sua autoridade.

Em Geração Distribuída, por exemplo, existe um procedimento significativo para a avaliação de viabilidade de um projeto, a Solciitação de Orçamento Estimado, solicitada na distribuidora. A resposta lhe fornecerá as condições de acesso para o local pretendido, como o ERD, o Encargo de Responsabilidade da Distribuidora, que lhe dirá a participação financeira da distribuidora nas obras na rede para que seu projeto seja conectado.

Percebe a importância de se capacitar? A falta de um conhecimento pode gerar prejuízos sérios.

Regulamentação

A capacitação envolve também conhecimento das normas, instruções e atos legais existentes sobre este setor. É fundamental conhecer as normas que regulamentam sistemas fotovoltaicos.

Veja uma lista de normas que devem ser conhecidas para atuar com projetos fotovoltaicos:

Lista de normas para projetos

Por fim, mantenha-se atualizado às normas das distribuidoras nas quais você pretende submeter seus projetos.

Afinal, as distribuidoras possuem procedimentos diferentes para conexão de novos consumidores à rede, possuem formulários próprios e exigem detalhamentos específicos das instalações que se conectarão à sua rede de distribuição.

Por exemplo, em algumas distribuidoras, dependendo do tamanho do projeto, antes da Solicitação de Acesso, é preciso submeter o projeto da Subestação de Conexão da Unidade Geradora, que leva 30 dias úteis para ser analisado, no caso de uma ligação nova. Obtendo a aprovação do projeto, é possível submeter a Solicitação de Acesso.

Em contrapartida, outras admitem os dois processos paralelamente. Ou seja, o projeto de Subestação de Conexão, a ligação nova, juntamente com a Solicitação de Acesso.

Por isso, conhecer esses cronogramas lhe poupará tempo e lhe auxiliará a traçar uma estratégia mais objetiva para preparar a documentação.

Mercado de Energia

Mercado de Energia

O Mercado de Energia é onde ocorre a comercialização de toda energia gerada no país, onde temos as categorias nas quais os clientes se enquadram de acordo com a sua demanda de energia. Ele possui dois ambientes: o Mercado Livre e o Mercado Regulado.

Assim, dependendo da demanda de potência e das vantagens financeiras, determinados consumidores e geradores estarão no mercado livre e outros consumidores e geradores estarão no mercado cativo.

Em resumo, no Mercado Livre, o preço e a quantidade de energia são negociados diretamente com os Agentes Geradores e Comercializadores. O mercado Regulado possui grupos específicos divididos por nível de tensão de atendimento e potência demandada.

Diante destas diferenças é importante que você conheça as categorias nas quais seus projetos podem se enquadrar para atender diferentes tipos de clientes e de que maneira os projetos trarão mais retorno para seus clientes e para você.

Os sistemas fotovoltaicos hoje em sua maioria englobam o Mercado Regulado, no sistema de compensação de energia, neste caso o entendimento da regulação é fundamental.

E não para por aí, cada projeto tem suas particularidades e deve ser analisado os fatores para segurança e eficiência do sistema.

Seria muito bom encontrar cursos falando sobre esses temas num só lugar, não é mesmo? Ainda bem que a gente já pensou nisso. Nos links abaixo você encontrará cada um dos nossos cursos para você começar a realizar os seus projetos fotovoltaicos.

> Curso Passo a Passo Dimensionamento Fotovoltaico: Acesse aqui
> Curso Mercado de Energia: Acesse aqui

3º Passo: Ser Proativo

Não basta ser engenheiro/técnico habilitado e fazer todos os cursos possíveis de projetos fotovoltaicos.

Ainda que você se sinta o mais capacitado, a teoria não apresenta de maneira clara os problemas e dificuldades que podem surgir.

Afinal de contas, cada projeto possuirá sua peculiaridade, como a inclinação do terreno, condições diferentes de sombreamento, uma linha de transmissão que atravessa o terreno e precisará ser relocada.

Ao colocar a mão na massa, você enxergará quais são os pontos que você imaginava que tinha estudado bem, mas precisa revisar, e outros que você realmente não fazia ideia que precisaria estudar. Por isso, se posicione rapidamente no mercado de trabalho para adquirir experiência.

Busque Contatos, faça parcerias

Talvez o momento para divulgarmos nossos serviços e formar parcerias seja o melhor. É impressionante como temos tanta gente nas redes sociais mostrando seu conteúdo, falando sobre aquilo que gostam.

Com um celular apenas, podemos elaborar conteúdo, seja em vídeo ou em texto, expor nossas ideias e pensamentos, alcançando milhares de pessoas.

No segmento de projetos fotovoltaicos não é diferente. Isso traz uma grande vantagem para projetistas, pois mais pessoas podem ver o resultado dos seus serviços, mais clientes podem ver aquilo que você está fazendo.

Portanto, quanto mais cedo você divulgar aquilo que sabe, mais rapidamente isso será convertido em oportunidades para você colocar em prática os conhecimentos que você aprendeu e ocupar seu espaço no setor.

Caso você não possua experiência com nenhum projeto elétrico, é interessante buscar oportunidades de estágio ou de auxiliar, talvez até mesmo um trabalho voluntário, caso seja possível trabalhar de graça durante algumas horas da sua semana.

Cargos iniciantes se tornam uma alternativa mais simples de entrada, por exigirem menos requisitos e não precisar de experiência.

Uma outra possibilidade é trabalhar numa área distinta dentro de uma empresa de projetos FV, como de vendas ou até mesmo administrativa, e aos poucos demonstrar que você conhece sobre o tema e conseguir migrar de área.

Seja qual for seu perfil profissional nesse momento, procure sempre fazer parte de grupos de projetistas, grupos de estudo, fóruns, para networking. Assim, você pode formar parcerias, sociedades não somente com outros projetistas, mas com empresas especializadas em instalação de módulos em telhado, fornecedores de módulos e inversores em troca de preços melhores.

Além dessas vantagens, isso vai contribuir muito para você estar sempre por dentro de novidades, mudanças na regulação, contatos com distribuidoras. Você vai estar conectado diariamente com seus pares.

Demonstre suas Vantagens

Um fenômeno interessante tem acontecido ultimamente: Os profissionais que possuem um portfólio online têm a tendência de serem mais requisitados por pessoas que precisam de seus serviços.

Isso não quer dizer que o boca a boca ainda não funcione, mas um perfil online, seja no Facebook, no LinkedIn ou no Instagram, lhe servirá como um catálogo para que mais pessoas possam visualizar as soluções que você pode trazer para elas.

Suas redes sociais podem potencializar a sua visibilidade se nelas você registra suas conquistas. Transmita constantemente suas atividades e realizações, seja um curso complementar sobre medidas de eficiência energética, uma instalação que acabou de “sair do forno”.

Isso não só o torna diferenciado, mas chama atenção sobre soluções integradas ao projeto que só você pode oferecer.

Estude mais

Acompanhe cursos online, blogs, lives de especialistas do setor de energia. Aproveite o seu tempo livre para se capacitar, para acompanhar o que estão falando nas redes sociais sobre o mercado fotovoltaico.

Hoje a quantidade de transmissões de conteúdo online aumentou assustadoramente, o que é muito bom. Palestras que talvez custassem uma entrada ou tempo de deslocamento, que talvez até fossem inviáveis devido à distância, hoje estão a um clique na tela.

Inove, desenvolva mais habilidades, esteja sempre atualizado aos assuntos que podem gerar mais valor para o seu serviço, soluções que possam ser oferecidas como bônus aos seus clientes, aos seus gestores.

Pode ter certeza de que nesse mercado cresce cada vez mais, com dedicação e responsabilidade você se tornará um ótimo profissional.

E lembre-se: Conte com o Energês para ser cada dia melhor no que faz.

Quer aprender tudo sobre Energia Solar, desde o zero?
Clique aqui e acesse o curso de Dimensionamento Fotovoltaico

Até o próximo post!
Joi e equipe!

Aquecimento Solar

Conceitos iniciais. Conhecimento de Coletores e Boilers. Projeto SAS - Sistema de Aquecimento Solar. Planilha de Dimensionamento Aquecimento Solar. Como Dimensionar projeto SAS. Aquecimento Solar e Aquecimento Piscina. MasterClass de Aquecimento Solar.

Energia Fotovoltaica

Principais Conceitos. Conhecimento de equipamentos de usinas FV. Visita Técnica, Solicitação de Acesso, Solicitação de Vistoria. Comissionamento. Licenciamento Ambiental SC. Erros em sistemas FV. Usinas Solares Centralizadas (Outorga ANEEL e Medição de dados Solarimétricos). Como dimensionar um sistema conectado à rede. Dimensionamento de sistema Off-grid. Planilha de Dimensionamento On-grid. Vendas. Estudos Econômicos e Fluxo de Caixa Grandes Usinas na GD.

Eficiência Energética

Práticas de Eficiência Energética. Como fazer uma Auditoria Energética. Eficiência aplicada na iluminação. Planilha de Eficiência Energética para substituição de lâmpadas. Planilha de Gestão e Análise de Modalidades Tarifárias. Eficiência aplicada às edificações. Gestão de Energia (ISO 50.001).

Tarifa e Fatura de Energia

Manual da Conta de Energia. Minicurso Estrutura Tarifária. Estrutura e Composição Tarifária. Planilha de Modalidade Tarifária. Gestão de Energia no Agronegócio.

Energia Eólica

Conceitos iniciais. Medição de Dados Anemométricos. Potência do Vento. Materiais e propriedades construtivas do Aerogerador. Outorga e Implantação de usina eólica. Planilhas de Prospecção de Potencial Energético (usando dados de medição de vento real e dados de vento estimados do local).

Biomassa

Introdução, Conceitos, Tipo, Conversão e Usos da Biomassa. Como fazer cálculo de produção de biogás. Planilha de Geração de Biogás de Suínos, de Aterro Sanitário e de Efluentes. Dimensionamento Biodigestores. Outorga ANEEL.

Energia Hidrelétrica

Conceitos iniciais. Componentes de uma Usina e Medição de dados Fluviométricos. Processo de Outorga de Água. Usos da Água. Projeto Básico. Etapas de Projeto Básico. Prospecção de Potencial Energético (Planilha cálculo para CGH). Planilha de potência mecânica e elétrica. Estudos Econômicos e Fluxo de Caixa de Usinas.

Energias Renováveis e Carreira

Introdução às Energias Renováveis. Energia Geotérmica. Energia Maremotriz e das Ondas. Performance de Sistemas de Geração de Energia. Oportunidades na prática no setor. Como descobrir o melhor cargo para você conforme sua personalidade. Características e ferramentas para ser um profissional valorizado. Jornada do Profissional de Energia. Maratona do Profissional de Energia.

Novas Tecnologias


Energia Eólica Off-Shore. Hidrogênio Verde. Armazenamento de energia - baterias. Planilha de baterias para sistemas off-grid e para sistemas híbridos. Mercado de Carbono. Implantação de ESG. Planilha de baterias para sistemas off-grid e para sistemas híbridos

Curso Carregadores Elétricos – Sua nova fonte de renda

Setor Elétrico e Geração Distribuída

Introdução ao setor elétrico. Conhecendo órgãos regulamentadores do setor. Agenda regulatória da Aneel. Desmitificando conceitos complexos e temas polêmicos (Garantia de Suprimento, PLD horário, Separação Lastro e Energia, GSF...). Planilha de Estudos Econômicos Financeiros. Modernização do setor elétrico. Processo de Compensação de Energia. Novas Regras da Geração Distribuída (Lei 14.300/2022). Resolução 1000/2021. Planilha para cálculo de Simultaneidade. Performance de sistemas de geração de energia: Fator de Capacidade e PR. Planilha de cálculo Fator de Capacidade.

Mercado Livre de Energia

Conceitos iniciais. Processo de Abertura do Mercado Livre. Por dentro de uma Comercializadora de Energia (Front, Back e Middle Office). Migração para o Mercado Livre. Planilha de Estudo de Viabilidade para Mercado Livre. Processo de Adesão na CCEE. Geradores de Energia (Produtor Independente e Autoprodutor).