Conheça 6 mitos do Mercado Livre de Energia - Energês
Menu fechado

DESMITIFICANDO O MERCADO LIVRE DE ENERGIA

Fala Energista! Hoje vou te mostrar 6 mitos do Mercado Livre de Energia.

Vou provar que o ML pode ser uma alternativa interessante ao mercado tradicional – denominado como Mercado Cativo – que é, por definição, a forma como a energia costuma ser contratada.

No entanto, a transição para o Mercado Livre é limitada para alguns consumidores. É burocrática e requer bastante estudo para entender se há benefícios para cada empresa.

Diante disso, alguns consumidores ainda têm inseguranças quanto a este ambiente de contratação de energia.

Cabe aos profissionais do setor de energia, desmitificar as questões que causam insegurança em quem deseja fazer a migração.

Quer saber alguns mitos do Mercado Livre de Energia? Bora lá então!

1 - Ao migrar para o mercado livre de energia o consumidor deixa de ter relação com a distribuidora

MITO!

De antemão, a distribuidora continua sendo responsável pelo transporte de energia (popularmente chamado de fio). Assim, o consumidor vai precisar pagar uma fatura referente ao transporte da energia para a distribuidora, o contrato será o CUSD (Contrato de uso do sistema de distribuição).

Veja aqui o que o consumidor livre paga.

2 – Os preços de energia são muito voláteis no mercado livre

MITO!

No mercado livre o preço de curto prazo (venda e compra de sobra e déficits) tem maior volatilidade, o que raramente acontece com valores de contratos de médio (2 a 4 anos) e longo prazo (aproximadamente 10 anos).

Aliás, os contratos mais longos têm um valor pré-determinado e com isso, é possível garantir aderência ao orçamento desejado de consumo de energia elétrica.

3 – Os consumidores do ML só fazem contratos de curto prazo

MITO!

Primeiramente, o mercado spot (curto prazo) é exceção. Pois, a maioria da energia contratada no ambiente livre é para contratos com vigência de médio e longo prazo. O mercado de curto prazo é utilizado, principalmente para sobras e déficits de energia.

4 – No ML o consumidor tem mais riscos de ficar sem energia

MITO!

A entrega física da energia permanece a mesma, tanto para o ambiente regulado quanto livre. Então a distribuidora ainda é responsável pela entrega da energia, assim, os riscos de ficar sem energia continuam os mesmos do mercado cativo.

5 – O mercado livre de energia tem muitos riscos e não tem regras e regulamentação claras

MITO!

O Mercado livre é seguro e regulamentado pelos mesmos órgãos que regulam o mercado cativo: A ANEEL, a CCEE e o ONS. Conheça aqui os agentes da CCEE e do mercado livre.

6 – No mercado livre preciso pagar todo o montante de energia que eu contratei de uma vez só

MITO!

Isso não vai mudar, ou seja, primeiro o consumidor irá usar a energia, e na sequência a gestora irá contabilizar, fazer as operações e será emitida apenas uma fatura para a energia consumida mensalmente, e outra fatura para a distribuição, também mensal.

Tudo estritamente relativo ao volume de energia que o consumidor consumiu em cada mês.

Agora você já sabe esses mitos do Mercado Livre com certeza atuará no setor com mais confiança.

E Energista… Quer descobrir como atuar no Mercado Livre de Energia? Conheça nosso curso de mercado de energia.

Até breve.
Joi e Equipe Energês.

Siga-nos e compartilhe a informação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Fale conosco
Olá 👏
Como posso lhe ajudar?