Olá Energista!

Se você pretende fechar um contrato de sistema fotovoltaico, leia esse artigo antes!

Vamos ver como é importante fazer uma visita técnica ao local da instalação para verificar a viabilidade do projeto.

Antes de implantar um sistema fotovoltaico você precisa se atentar para esses três aspectos:

  1. Condições Elétricas
  2. Condições Físicas do local
  3. Como fazer sua visita técnica efetiva

Em cada um dos pontos vamos discorrer sobre os detalhes, então anote tudo!

#1 Condições elétricas

As condições elétricas do local onde se pretende implementar o projeto fotovoltaico são as premissas para a análise de viabilidade do projeto.

É imprescindível verificar, durante a visita técnica, as necessidades de melhorias nas instalações elétricas do cliente.

Assim, será possível ter certeza do custo de possíveis adequações no sistema elétrico, para a instalação do sistema fotovoltaico.

Primeiramente, é necessário verificar as condições do circuito de entrada do cliente.

Padrão de Entrada

O Padrão de Entrada se resume ao ponto de conexão com a distribuidora.

Comece verificando o tipo de ligação: Se o cliente é trifásico, monofásico ou bifásico. Eventualmente, a adoção de um sistema fotovoltaico necessita de uma ligação trifásica.

Em princípio, para unidades que serão conectadas em baixa tensão, o padrão de entrada é composto pelo medidor e por um disjuntor de baixa tensão.

Padrão Baixa Tensão Visita Técnica

Caso seja uma unidade de média tensão, será necessária uma subestação. Para potência instalada até 300 kVA, será preciso uma Subestação simplificada, que em suma significa ter um transformador particular em poste.

Agora, caso a unidade consumidora seja atendida em Média Tensão com potência instalada acima de 300 kVA, será necessário instalar uma Subestação Abrigada ou Blindada.

Neste último caso, se o cliente já estiver adequado ao sistema, com uma cabine de média tensão, será necessária apenas uma adequação para instalar um sistema fotovoltaico, o que torna o custo do projeto mais baixo.

Subestação Média Tensão

No mais, é imprescindível verificar as condições de aterramento do padrão de entrada. O sistema fotovoltaico precisa de condições adequadas de aterramento, por isso é bom se atentar a este componente da instalação.

Contudo, é sempre preciso verificar se o padrão de entrada está de acordo com as normas da distribuidora local e em boas condições para indicar a melhor solução.

Quadro de Energia

O Quadro de Energia de Baixa Tensão, ou o QGBT é a parte principal da instalação dos circuitos. Nele estão o disjuntor geral da instalação, bem como os disjuntores das cargas do seu cliente.

No momento da visita técnica, é importante verificar a corrente máxima do disjuntor geral, para verificar se ele está no limite das cargas, ou se ele possui capacidade para proteger a injeção de energia do sistema fotovoltaico.

Quadro geral de baixa tensão visita técnica

No mais, esteja atento aos condutores que chegam ao quadro de baixa tensão, uma vez que a capacidade destes condutores precisará também comportar a corrente gerada pelo sistema FV.

Portanto, durante a visita técnica, verifique a seção dos condutores que estão conectados ao disjuntor geral, para sabe se a seção está adequada ou não.

#2 Condições Físicas

A análise das condições do local de implantação do sistema fotovoltaico permite a certeza de que o local é adequado para os componentes do sistema.

Então, quais aspectos físicos devemos considerar numa visita técnica para garantir a instalação do projeto?

Tipo de Telhado

Primeiramente, temos que verificar as condições do telhado onde instalaremos os módulos. O tipo de telhado nos indicará qual tipo estrutura de fixação será utilizada.

Dentre os diversos tipos de telhados, os mais comuns são os telhados de Cerâmico, Fibrocimento e Metálicos.

Em suma, para cada um desses telhados, temos um tipo diferente de estrutura:

  • Telhado de Cerâmica: Parafuso Prisioneiro ou tipo Gancho
  • Telhas de Fibrocimento: Parafuso Prisioneiro

Telhados Metálicos: Fixação Auto brocante Z para telhados ondulados e perfil diretamente na telha para telhado trapezoidal

Estruturas Fotovoltaicas

Além disso, é necessário verificar as condições das vigas de sustentação dos telhados, analisando o seu estado de conservação, uma vez que os módulos pesam em torno de 20 kg. Ou seja, o telhado precisa estar em bom estado para sustentar os módulos.

Área Disponível

Para que o sistema fotovoltaico consiga compensar de maneira efetiva o consumo de energia do cliente, é importante que o telhado tenha área disponível para comportar a quantidade de módulos necessária para o projeto.

Por isso, é importante verificar possíveis objetos nos telhados que atrapalhem a instalação dos módulos, por exemplo, a presença de exaustores eólicos, ou telhas transparentes para iluminar o interior do local.

E, é claro, os itens a seguir.

Orientação e Inclinação

Tanto a orientação quanto a inclinação do telhado serão determinantes para a eficiência do sistema fotovoltaico.

Quanto a orientação, o ideal é sempre orientar os módulos para o norte geográfico, portanto, durante a visita será possível ver quais águas do telhado estão apontadas para o norte. Dependendo da orientação do telhado disponível, isso pode tornar o projeto inviável tecnicamente.

Com relação a inclinação, será necessário verificar se o telhado possui uma inclinação muito acentuada ou pouco (abaixo de 10º), o que pode não só interferir na eficiência do sistema como tornar difícil a fixação dos módulos no telhado, ou até acumular sujeira devido à baixa inclinação.

Telhados

Acesso

As condições de acesso ao telhado precisam ser previstas no momento da visita técnica, para evitar surpresas na hora da instalação dos módulos fotovoltaicos. Além de condições seguras, devemos levar em consideração como será o transporte dos módulos até o telhado.

Por isso, verifique se é possível transportar os módulos no interior do local, ou se será necessário içar os módulos pela parte exterior.

Distâncias para passagem de condutores

Uma das maiores causas de perdas em sistemas fotovoltaicos está relacionada as perdas elétricas devidas ao cabeamento de energia elétrica.

Quanto maior a distância entre os condutores, maior será a seção dos condutores para interligar os componentes, além de mais cabos necessários para a conexão elétrica deles.

Além das perdas a medida que o circuito fica maior, o custo de cabeamento aumentará o custo do projeto.

Medidas de Parede

Durante a visita técnica, preste atenção nos locais onde podem ser instalados os inversores do sistema fotovoltaico.

É importante considerar não somente a área ocupada pelo inversor, mas também os equipamentos periféricos a ele, como a string box. Ah e não esqueça do distanciamento mínimo entre os componentes e a parede.

Além dos componentes, é importante verificar se no local indicado para fixar os inversores, há espaço suficiente para circulação no local, seja para fazer ajustes no inversor ou manutenção de equipamentos.

#3 Como Fazer sua Visita Técnica Efetiva

Por fim, o mais importante em uma visita técnica é fazer o máximo possível de registros fotográficos, em todos os pontos do local de instalação e possíveis áreas em que serão instalados os componentes do sistema fotovoltaico.

Em resumo, registrando tudo de uma vez só, não será necessário retornar ao local para um outra visita, afinal de contas, isso gera mais custos e perda de tempo, dependendo do local. Portanto, tire fotos e faça vídeos de todos os pontos.

Fazer vídeos explicativos é muito efetivo no momento da visita técnica. Por exemplo, ao fazer ao término da verificação, depois de extrair todas as informações, como as medidas, a inclinação em relação ao norte e possíveis pontos de sombreamento, faça um vídeo, explicando isso e filme toda a área do telhado.

Após a visita, caso não se lembre de alguma coisa, o vídeo servirá como uma retrospectiva “viva” da visita técnica. Uma foto, até mesmo uma sequência de fotos, não serão comparáveis a uma gravação do local.

Entretanto, fotos são boas para registrar informações pontuais, como o valor da corrente do disjuntor geral, o padrão de entrada, o quadro de disjuntores, a área do telhado etc.

Essas informações podem ser inseridas na sua proposta comercial, bem como no posterior memorial descritivo.

Fotos e vídeos durante visita técnica

Agora que você sabe porque é importante fazer uma visita técnica e como fazer, deixa seu comentário aqui se ficou com alguma dúvida ou fale com a gente no instagram.

AGORA CONFIRA ESSE SUPER PRESENTE!

Clique abaixo e acesse o checklist completo para levar em suas visitas e fazer todas as anotações necessárias:

Se aperfeiçoe no setor fotovoltaico mesmo começando do zero e se torne um especialista em energia solar:

Até a próxima!

Joi e Equipe Energês

Aquecimento Solar

Conceitos iniciais. Conhecimento de Coletores e Boilers. Projeto SAS - Sistema de Aquecimento Solar. Planilha de Dimensionamento Aquecimento Solar. Como Dimensionar projeto SAS. Aquecimento Solar e Aquecimento Piscina. MasterClass de Aquecimento Solar.

Energia Fotovoltaica

Principais Conceitos. Conhecimento de equipamentos de usinas FV. Visita Técnica, Solicitação de Acesso, Solicitação de Vistoria. Comissionamento. Licenciamento Ambiental SC. Erros em sistemas FV. Usinas Solares Centralizadas (Outorga ANEEL e Medição de dados Solarimétricos). Como dimensionar um sistema conectado à rede. Dimensionamento de sistema Off-grid. Planilha de Dimensionamento On-grid. Vendas. Estudos Econômicos e Fluxo de Caixa Grandes Usinas na GD.

Eficiência Energética

Práticas de Eficiência Energética. Como fazer uma Auditoria Energética. Eficiência aplicada na iluminação. Planilha de Eficiência Energética para substituição de lâmpadas. Planilha de Gestão e Análise de Modalidades Tarifárias. Eficiência aplicada às edificações. Gestão de Energia (ISO 50.001).

Tarifa e Fatura de Energia

Manual da Conta de Energia. Minicurso Estrutura Tarifária. Estrutura e Composição Tarifária. Planilha de Modalidade Tarifária. Gestão de Energia no Agronegócio.

Energia Eólica

Conceitos iniciais. Medição de Dados Anemométricos. Potência do Vento. Materiais e propriedades construtivas do Aerogerador. Outorga e Implantação de usina eólica. Planilhas de Prospecção de Potencial Energético (usando dados de medição de vento real e dados de vento estimados do local).

Biomassa

Introdução, Conceitos, Tipo, Conversão e Usos da Biomassa. Como fazer cálculo de produção de biogás. Planilha de Geração de Biogás de Suínos, de Aterro Sanitário e de Efluentes. Dimensionamento Biodigestores. Outorga ANEEL.

Energia Hidrelétrica

Conceitos iniciais. Componentes de uma Usina e Medição de dados Fluviométricos. Processo de Outorga de Água. Usos da Água. Projeto Básico. Etapas de Projeto Básico. Prospecção de Potencial Energético (Planilha cálculo para CGH). Planilha de potência mecânica e elétrica. Estudos Econômicos e Fluxo de Caixa de Usinas.

Energias Renováveis e Carreira

Introdução às Energias Renováveis. Energia Geotérmica. Energia Maremotriz e das Ondas. Performance de Sistemas de Geração de Energia. Oportunidades na prática no setor. Como descobrir o melhor cargo para você conforme sua personalidade. Características e ferramentas para ser um profissional valorizado. Jornada do Profissional de Energia. Maratona do Profissional de Energia.

Novas Tecnologias


Energia Eólica Off-Shore. Hidrogênio Verde. Armazenamento de energia - baterias. Planilha de baterias para sistemas off-grid e para sistemas híbridos. Mercado de Carbono. Implantação de ESG. Planilha de baterias para sistemas off-grid e para sistemas híbridos

Curso Carregadores Elétricos – Sua nova fonte de renda

Setor Elétrico e Geração Distribuída

Introdução ao setor elétrico. Conhecendo órgãos regulamentadores do setor. Agenda regulatória da Aneel. Desmitificando conceitos complexos e temas polêmicos (Garantia de Suprimento, PLD horário, Separação Lastro e Energia, GSF...). Planilha de Estudos Econômicos Financeiros. Modernização do setor elétrico. Processo de Compensação de Energia. Novas Regras da Geração Distribuída (Lei 14.300/2022). Resolução 1000/2021. Planilha para cálculo de Simultaneidade. Performance de sistemas de geração de energia: Fator de Capacidade e PR. Planilha de cálculo Fator de Capacidade.

Mercado Livre de Energia

Conceitos iniciais. Processo de Abertura do Mercado Livre. Por dentro de uma Comercializadora de Energia (Front, Back e Middle Office). Migração para o Mercado Livre. Planilha de Estudo de Viabilidade para Mercado Livre. Processo de Adesão na CCEE. Geradores de Energia (Produtor Independente e Autoprodutor).